Golpistas mentem sobre caso Banrisul

Na última semana, a turma do Mago Alba (aquele que faz desaparecer a esperança), apregoaram seu sucesso em demanda judicial do Banrisul, falando que evitaram um prejuízo de 90 milhões para a Prefeitura. Mentem para enganar a cidade ou para se convencer?

Lembrando o caso: na década de 90, a Prefeitura acumulou dívidas de iluminação pública com a CEEE, vindo a fazer um parcelamento em 2000. Em 2002, o Banrisul adquiriu a dívida, passando a ser o credor. Em 2004, a Prefeitura deixou de pagar o parcelamento. Em 2010, já no governo Rita e Cristiano, o Banrisul, controlado por Yeda e pelo pessoal do PMDB, passou a exigir o pagamento ou renegociação, deixando, de forma velada, o risco de acionarem judicialmente o montante total da dívida, estimada em 90 milhões de reais se não houvesse novo parcelamento. Isso seria o caos, pois geraria seqüestros em nossos recursos, direto dos cofres do Estado, além de perdermos possibilidades de captarmos verbas federais.

Em fevereiro de 2011, foi feito acordo com o banco, reduzindo o total de 90 para 24 milhões. O primeiro pagamento estava previsto para outubro de 2011 e o parcelamento foi aprovado pela Câmara de Vereadores. Com o golpe em 15 de outubro de 2011, quem fez os pagamentos foi a turma do PMDB, desde a primeira prestação, em outubro, até abril de 2012.

Ao pararem de pagar, o Banrisul cobrou a dívida na justiça, exigindo todos os 90 milhões. O que tivemos, agora, foi a decisão judicial de primeira instância, dizendo que a dívida estava prescrita desde junho de 2011.

O que precisa ser dito: quando o Banrisul cobrou a prefeitura em 2010, a dívida era líquida e certa. Afinal, o judiciário só veio a reconhecer a prescrição (quando o credor perde o direito de cobrar judicialmente) a partir de junho de 2011. Ou seja, se Rita não negociasse em 2010, o Banco cobraria o valor total na justiça (por sinal, como fez agora…).

Por outro lado, se a tese da prescrição fosse usada naquele momento, o banco nos acionaria judicialmente….pois a dívida ainda não estava prescrita. Ou seja, o Banrisul cobraria e ganharia TODOS OS 90 MILHÕES!

Os golpistas do PMDB tentam misturar este tema, da prescrição, com o golpe à democracia, que fizeram em 2011. Mentem. Em nenhum momento, em nenhuma justificativa (nem nas mais furadas), em nenhuma alegação que terminou no golpe, a questão da prescrição foi levantada.

A negociação conduzida pelo governo de Rita/Cristiano foi excelente, reduzindo o montante para 24,5 milhões (em vez dos 90 mi!). Tanto que o Ministério Pùblico, em perícia feita por sua equipe contábil, declarou que o acordo foi benéfico para o Município (ver https://golpedainjustica.wordpress.com/2012/03/21/mp-afirma-que-parcelamentos-nao-trouxeram-prejuizos-a-gravatai/).

 No final das contas, Gravataí (e Alba) deve agradecer a Rita e Cristiano, pois se não houvesse negociação em 2010, sofreríamos execução judicial total, já que a dívida não estava, ainda, prescrita. Com a renegociação de 2010/11, a prescrição pode, agora, ser reconhecida pelo Judiciário. O resultado dessa semana é apenas em primeira instância, cabendo recurso do banco. A menos que os amigos de Alba, no Estado, deixem de recorrer para ajudar o companheiro.

Anúncios
Esse post foi publicado em Golpe, Gravataí e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Golpistas mentem sobre caso Banrisul

  1. rita Sanco disse:

    A verdade que os golpistas insistem em esconder para tentar justificar o ataque que fizeram à democracia em Gravataí.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s